SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número2Deambulación precoz y cefalea pospunción dural en pacientes intervenidos bajo anestesia espinal subaracnoideaDerrame pericárdico como forma de debut del lupus eritematoso sistémico índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

  • No hay articulos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Revista Cubana de Medicina Militar

versión impresa ISSN 0138-6557versión On-line ISSN 1561-3046

Resumen

CORDEIRO DE SOUZA, William et al. Associação do índice de massa corporal com absortometria de Raio-x de Dupla Energia (DEXA) em diabéticos tipo 1. Rev Cub Med Mil [online]. 2019, vol.48, n.2, e306.  Epub 01-Jun-2019. ISSN 0138-6557.

Introdução:

Existem várias técnicas para avaliar a composição corporal, dentre elas o DEXA, porém apresenta alto custo. O índice de massa corporal (IMC) se apresenta como método mais utilizado. Entretanto, o mesmo apresenta limitações.

Objetivo:

Verificar a aplicabilidade de uma nova equação do IMC e associar com o absortometria de Raio-x de Dupla Energia (DEXA) em adolescentes com diabetes mellitus tipo 1.

Métodos:

Pesquisa intencional composta por 30 adolescentes (15 meninos e 15 meninas), com idades entre 10 e 15 anos. Foi avaliada a estatura e a massa corporal para a obtenção dos IMC2.5 e oIMC2 . O percentual de gordura foi obtido através do DEXA. A hemoglobina glicada foi verificada por meio do teste imunoturbidimétrico TurbiClin. Para análise dos dados foi realizada a média, desvio padrão e percentual de frequência. A correlação entre as variáveis dos IMC, DEXA e hemoglobina glicada, foi avaliada pelo coeficiente de correlação de Pearson. Adotou-se um nível de significância de p < 0,05.

Resultados:

A nova equação do IMC2.5 apresentou associação com IMC2.5 Escore Z (r=0,68; p=0,001), IMC2 (r=0,99; p=0,001), IMC2 Escore Z (r=0,67; p=0,001) e DEXA (r=0,58; p=0,05). Enquanto, o IMC2.5 Escore Z demonstrou associação positiva com oIMC2 (r=0,70; p=0,001) e IMC2 Escore Z (r=1,0; p=0,001).

Conclusão:

Para os adolescentes com diabetes mellitus tipo 1 tanto faz a equação utilizada para estimar o estado nutricional, pois a imprecisão de ambos os IMC continua a mesma para determinar percentual de gordura. O mesmo ocorre quando transformado em IMC2.5 escore Z, o nível de correlação continua semelhante.

Palabras clave : massa corporal; adolescentes; diabetes; absortometria de raio-x de dupla energía; DEXA.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español | Portugués     · Portugués ( pdf )