SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 issue4Relationship between application and utility of the safe surgery checklistScientific publication of aides of thesis of infirmary of 3 universities of the department of Puno, Peru author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

My SciELO

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

  • Have no cited articlesCited by SciELO

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Revista Cubana de Enfermería

Print version ISSN 0864-0319On-line version ISSN 1561-2961

Rev Cubana Enfermer vol.36 no.4 Ciudad de la Habana Oct.-Dec. 2020  Epub Dec 01, 2020

 

Artículo original

Diagnósticos e intervenções de Enfermagem à pessoa com síndrome metabólica submetida à gastrectomia

Diagnósticos e intervenciones de enfermería a la persona con síndrome metabólico sometida a gastrectomía

Nursing diagnoses and interventions to the person with metabolic syndrome submitted to gastrectomy

Isleide Santana Cardoso Santos1  * 
http://orcid.org/0000-0001-8671-8686

Rita Narriman Silva de Oliveira Boery1 
http://orcid.org/0000-0002-7823-9498

Josicélia Dumêt Fernandes2 
http://orcid.org/0000-0003-2946-5314

Edison Vitório de Souza Júnior1 
http://orcid.org/0000-0003-0457-0513

Andréa dos Santos Souza1 
http://orcid.org/0000-0001-8269-6029

1Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB. Jequié (BA), Brasil.

2Universidade Federal da Bahia/UFBA. Salvador (BA), Brasil.

RESUMO

Introdução:

A síndrome metabólica constitui-se em um dos fatores de risco cardiovascular e as estratégias para seu enfrentamento são indispensáveis para reduzir a morbimortalidade da população.

Objetivo:

Identificar os diagnósticos de ernfermagem e intervenções realizadas nos cuidados a pessoa com síndrome metabólica submetida a gastrectomia.

Métodos:

Pesquisa descritiva do tipo intervenção no cuidado a pessoa com síndrome metabólica submetida à gastrectomia, acompanhada pelo serviço de Enfermagem, no período de 2016 a 2018, em uma Unidade Básica de Saúde no interior da Bahia. Os dados foram obtidos por meio de anamnese, exame físico e exames clinico-laboratoriais disponíveis no prontuário. Os dados foram armazenados em tabela única constando os dados antropométricos e os exames glicêmicos e lipídicos antes e após a cirurgia. Adotou-se como parâmetro avaliativo a análise clínica descritiva das evidências constatadas no exame físico e nos resultados dos exames laboratoriais, como parte da rotina profissional.

Resultados:

Traçou-se os seguintes diagnósticos: Ansiedade; Medo; Nutrição desequilibrada: mais que as necessidades corporais; conhecimento deficiente sobre a síndrome metabólica. No pós-operatório da gastrectomia traçou-se: risco de nutrição desequilibrada: menos que as necessidades corporais; risco de infecção; dor aguda e integridade da pele prejudicada.

Conclusão:

Após a cirurgia, houve redução dos índices que a classificava como portadora da Síndrome Metabólica. Os dados antropométricos e metabólicos demonstram que a paciente não tem mais a síndrome porque a obesidade, a alteração glicêmica e da pressão arterial foram revertidas e as medicações suspensas.

Palavras chave: processo de enfermagem; obesidade; cirurgia bariátrica

RESUMEN

Introducción:

El síndrome metabólico constituye un factor de riesgo cardiovascular y las estrategias para enfrentarlo son esenciales para reducir la morbimortalidad de la población.

Objetivo:

Describir el proceso de enfermería en los cuidados a la persona con síndrome metabólico sometida a la gastrectomía.

Métodos:

Se trata de una investigación descriptiva de intervención en el cuidado a la persona con síndrome metabólico sometida a la gastrectomía, acompañada por el servicio de enfermería, en el período de 2016 a 2018, en una Unidad Básica de Salud en el interior de Bahía. Los datos se obtuvieron a través de anamnesis, examen físico y exámenes clínicos y de laboratorio disponibles en los registros médicos. Los datos se almacenaron en una sola tabla que contenía datos antropométricos y pruebas de glucemia y lípidos antes y después de la cirugía. El parámetro evaluativo fue el análisis clínico descriptivo de la evidencia encontrada en el examen físico y los resultados de las pruebas de laboratorio, como parte de la rutina profesional.

Resultados:

Fueron trazados los siguientes diagnósticos de enfermería: ansiedad; miedo; nutrición desequilibrada: más que las necesidades corporales; el conocimiento deficiente sobre el síndrome metabólico. En el postoperatorio de la gastrectomía fueron trazados: riesgo de nutrición desequilibrada: menos que las necesidades corporales; riesgo de infección; dolor agudo e integridad de la piel perjudicial.

Conclusión:

Después de la cirugía hubo una reducción en las tasas que la clasificaron como síndrome metabólico. Los datos antropométricos y metabólicos muestran que el paciente ya no tiene el síndrome porque la obesidad, la alteración de la glucosa en la sangre y la presión arterial se revirtieron y se suspendieron los medicamentos.

Palabras clave: proceso de enfermería; obesidad, cirugía bariátrica

ABSTRACT

Introduction:

Metabolic syndrome constitutes the cardiovascular risk factors and the strategies for its confrontation are essential to reduce the morbimortality of the population.

Objective:

Identify nursing diagnoses and perform care for a person with metabolic syndrome undergoing gastrectomy.

Methods:

It is a descriptive study of type intervention in the care of the person with Metabolic Syndrome submitted to gastrectomy, accompanied by the Nursing service, from 2016 to 2018, in a Basic Health Unit in the interior of Bahia. Data were obtained through anamnesis, physical examination and clinical and laboratory exams available in the medical records. Data were stored in a single table containing anthropometric data and glycemic and lipid tests before and after surgery. The evaluative parameter was the descriptive clinical analysis of the evidence found in the physical examination and the results of laboratory tests, as part of the professional routine. The study was approved by the Research Ethics Committee under Opinion No. 2.850.239.

Results:

It were traced the Nursing diagnoses: Anxiety; Fear; Unbalanced nutrition: more than bodily needs; knowledge about the metabolic syndrome. In post-operative gastrectomy were traced: risk of unbalanced nutrition: less than the bodily needs; risk of infection; acute pain and impaired skin integrity.

Conclusion:

After surgery, there was a reduction in the rates that classified her as having Metabolic Syndrome. Anthropometric and metabolic data show that the patient no longer has the syndrome because obesity, glycemic alteration and blood pressure were reversed and medications were suspended.

Keywords: Nursing process; Obesity; Bariatric surgery

Introdução

A incidência global da Síndrome Metabólica (SM) tem aumentado anualmente. Estima-se que 20 % a 30 % da população mundial estejam afetadas pela condição1 e em 2013 no Brasil, identificou-se que o quantitativo de pessoas diagnosticadas correspondem a um percentual de 9 % da população.2) Trata-se de uma síndrome caracterizada pelo desenvolvimento de diversos distúrbios metabólicos que, quando apresentados por um paciente, eleva potencialmente o seu risco de desenvolver Doenças Cardiovasculares (DCV) e Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2).3,4,5

De acordo com os critérios estabelecidos pelo National Cholesterol Education Program (NCEP), o diagnóstico de SM é confirmado quando três ou mais dos seguintes critérios são apresentados por um indivíduo: glicemia de jejum ≥100 mg/dL ou uso de medicação para controle glicêmico; hipertensão arterial (sistólica ≥130 mmHg e/ou diastólica ≥85 mmHg) ou medicação anti-hipertensiva; triglicerídeos em jejum (≥150 mg/dL); lipoproteína de alta densidade (HDL-C) em jejum (<50 mg/dL para mulheres; <40 mg/dL para homens), ou obesidade central (circunferência da cintura >88 cm para mulheres; >102 cm para homens).4

O tratamento para SM configura-se nas ações de educação em saúde como dieta, atividade física, uso me medicações para controle das doenças e processo cirúrgico. A gastrectomia ou cirurgia bariátrica (CB) é indicada quando o tratamento clínico não controla a obesidade e principalmente o DM2, pois favorece as complicações como as cardiovasculares. A relevância desse relato sobre a assistência de enfermagem a pacientes com SM submetido a cirurgia ainda permanece pouco exploradas, visto que a cirurgia como tratamento da SM é relativamente recente. Aliado a isso, verificou-se escassa publicação da enfermagem sobre o assunto, com lacuna no conhecimento sobre os Diagnósticos de Enfermagem e os cuidados mais apropriados a esses pacientes.6

Nesse contexto, as pessoas precisam de acompanhamento e orientações da Enfermagem por longos anos, visto que a SM se constitui um conjunto de alterações metabólicas ocasionada pela obesidade no adulto. Nessa perspectiva, entra em ação a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), definida como uma abordagem metodológica que objetiva a organização do trabalho profissional, de modo que intensifique a qualidade da assistência prestada ao indivíduo, família e coletividade. Fundamenta-se em bases teórico-científico-filosóficos que aperfeiçoam as práticas profissionais, contribuindo para promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde, além da prevenção de doenças e agravos. Organiza-se em cinco etapas interdependentes: coleta de dados, diagnósticos de enfermagem, planejamento, intervenção e avaliação.7,8

Inserido no contexto da SAE, encontra-se o Processo de Enfermagem (PE), caracterizado por ser um instrumento tecnológico do cuidado que possibilita a identificação, compreensão, descrição e explicação das necessidades humanas para implementar ações que as contemplem sob a ótica do cuidado profissional.9,10) Sendo assim, o objetivo desse trabalho foi identificar os diagnósticos de Enfermagem e intervenções realizadas nos cuidados a pessoa com síndrome metabólica submetida a gastrectomia.

Métodos

Trata-se de uma pesquisa descritiva do tipo intervenção desenvolvida no programa de hipertensão e Diabetes (HIPERDIA) de um Centro de Saúde da cidade de Jequié, Bahia/Brasil. Realizou-se a pesquisa no período de 2016 a 2018, com acompanhamento da enfermeira docente e seus discentes, durante a realização das práticas de campo da disciplina Enfermagem em Atenção à Saúde do Adulto I, do curso de Enfermagem da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

A produção dos dados foi realizada por anamnese e exame físico da paciente, em consultas de Enfermagem no serviço de HIPERDIA, além de consultas ao prontuário. Para desenvolver este relato, foram coletadas todas as informações clinico-laboratoriais disponíveis nos laudos de exames fornecidos pela paciente e prontuário clínico, reiterando que todo e qualquer dado coletado não provocou nenhuma exposição direta ou indireta da paciente, sendo que os pesquisadores asseguraram a confidencialidade das informações. Posteriormente, os dados coletadas foram armazenadas em tabela única do Microsoft Excel elaborada pelos próprios autores constando os dados antropométricos e os exames laboratoriais glicêmicos e lipídicos antes e após o procedimento cirúrgico. Ressalta-se que o presente estudo não adotou análise estatística para seu desenvolvimento. Adotou-se como parâmetro avaliativo a análise clínica descritiva das evidências constatadas no exame físico e nos resultados dos exames laboratoriais, como parte da rotina profissional.

O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia sob o Parecer nº 2.850.239 e CAAE: 92352818.9.0000.0055, conforme preconizado pela Resolução 510/2016 do Conselho Nacional de Saúde.

Resultados

Após análise criteriosa dos exames realizados pela paciente, os dados foram categorizados e separados de forma que fossem dispostos em tabelas as aferições de glicemia, o lipidograma e as pesagens antes e depois da CB.

Em 1993, primeira vez em que estava sendo acompanhada para a realização da CB, a paciente foi diagnosticada pelo exame de ultrassom com colelitíase (cálculos vesiculares), sendo adiada a cirurgia em questão e realizada colecistectomia. Cerca de 20 anos depois, através da realização de um exame anatomo-patológico, os dados apontaram para colecistite crônica e colecistolitíase, sendo a paciente novamente submetida a retirada cirúrgica da vesicular biliar (colecistectomia).

Em junho de 2016, após resultado de ultrassonografia (US) de abdome total a paciente foi diagnosticada com esteatose hepática de primeiro grau. Em julho de 2016, a paciente realizou endoscopia cuja conclusão apontou para gastrite erosiva leve de antro, com pesquisa positiva para Helicobacter pylori através do teste de urease. Ao exame polissonográfico, dados foram compatíveis com síndrome da apneia/hipopneia obstrutiva do sono de grau leve.

Em consulta cerca de quatro meses antes da cirurgia, relatou diversas tentativas de dietas para emagrecer com prescrição da nutricionista, porém, todas com insucesso e novo ganho ponderal. Ela apresentou ainda histórico familiar de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), DM2 e obesidade. Em momentos de muita ansiedade, a paciente ingeria grande quantidade de alimentos de forma acelerada e, posteriormente se arrependia do total ingerido. No momento em questão, apresentava circunferência abdominal (CA) de 129 cm, com acentuada deposição de gordura abdominal, percentual de gordura corporal de 61 % e índice de massa corporal (IMC) de 43,19 kg/m2, caracterizando obesidade grau III. Associado a estes achados, a paciente possuía DM2, HAS e discreta insuficiência aórtica. Dois meses depois apresentou relatório médico, no qual apresentou, peso igual a 110 kg e IMC de 45,26 kg/m2. Além destes, foi constatado aumento do índice de apneia/hipopneia obstrutiva do sono, com dessaturação de oxi-hemoglobina e obesidade mórbida, sendo indicada a cirurgia. Os dados antropométricos ao longo dos anos estão apresentados no quadro 1.

Quadro 1- Dados antropométricos dos participantes pré-cirurgia. Jequié, BA, Brasil, 2018 

Dentre os exames realizados em laboratório antes da cirurgia, constatou-se que os níveis glicêmicos, triglicéricos, e de LDL-C diminuíram no decorrer dos anos, conforme quadro 2. Além disso, percebeu-se aumento acentuado dos níveis de HDL-C.

Quadro 2- Exames glicêmicos e lipídicos dos participantes pré-cirurgia. Jequié, BA, Brasil, 2018 

A CB foi realizada no dia 29 de novembro de 2016, sendo do tipo gastroplastia vertical com derivação gastrojejunal sem anel. Assim sendo, após a realização do procedimento, a paciente apresentou melhora significativa nos resultados dos exames solicitados (quadro 3):

Quadro 3- Exames glicêmicos e lipídicos dos participantes pós-cirurgia. Jequié, BA, Brasil, 2018 

Após recebimento do laudo de vídeo endoscopia, um ano após a realização da CB, a paciente apresentou pós-operatório tardio (POT) de gastroplastia redutora em bom estado.

Histórico de Enfermagem

CS, sexo feminino, 53 anos, cor/raça negra, religião católica, em união estável, natural de Jequié, profissão agente comunitária de saúde há aproximadamente 18 anos, tem dois filhos, reside com seis pessoas, renda familiar superior a quatro salários mínimos, tem DM2 há 10 meses, hipertensa, obesa, e não sabe definir o que é SM. Há 30 anos começou a ganhar peso após a primeira gestação, sendo que esse aumento de peso acentuou a mais ou menos três anos. Apesar do amor à profissão, se sente um pouco angustiada e decepcionada com relação a situação vivida no trabalho que tem gerado muito estresse. Fazia caminhadas cinco vezes por semana e natação, entretanto, há aproximadamente um ano está sedentária. Parou com as atividades físicas desde a descoberta de um “caroço” no pé. Faz dieta há mais de 10 anos vivendo o efeito “sanfona”: perde peso, ganha peso. Está sendo acompanhada por nutricionista e pelo programa de hipertensão também há 10 anos. Foi cadastrada no programa de diabetes. A Pressão arterial (PA) já chegou a 220x100 mmHg. Já teve Acidente Vascular Cerebral (AVC) diagnosticada por Tomografia Computadorizada (TC), entretanto sem sintomatologia física. Está sendo acompanhada por uma equipe multiprofissional: endocrinologista, gastroenterologista, cirurgião, psicólogo, nutricionista para a realização de CB. Dados antropométricos em 01/09/2016: peso: 108 Kg, altura: 1.57m, IMC: 44 Kg/m², PA: 130X90 mmHg, CA: 123cm e glicemia capilar: 166 mg/dl. Declara-se católica praticante realizada e feliz, voluntária na pastoral da criança; como lazer gosta de viajar e ir a praia. Faz uso de metformina 850mg, glibenclamida 5mg, sinvastatina10mg, losartana 50mg e hidroclorotiazida 25mg, todos um comprimido uma vez ao dia.

Em consulta de Enfermagem em abril 2018 apresentou os seguintes dados antropométricos: peso: 73,5 Kg, altura: 1.57 m, IMC: 29,8 Kg/m², PA: 110X70 mmHg, CA: 98 cm e glicemia capilar 96 mg/dl. Informa que todas as medicações foram suspensas, mas continua seguindo dieta e fazendo atividades físicas: natação e caminhada, demonstrando os resultados da cirurgia.

Após a anamnese e exame físico foram estabelecidos os diagnósticos de Enfermagem em pré e pós-operatório atualizados conforme a NANDA 2018-2020 e os cuidados de Enfermagem prescritos foram embasados na Classificação das intervenções de Enfermagem,6,11 conforme Quadro 4.

Quadro 4- Diagnósticos e intervenções de Enfermagem para paciente em pré e pós-operatório. Jequié, BA, Brasil, 2018 

Pré-cirurgia Intervenções
Ansiedade (00146) *Preparar a paciente para cirurgia através da educação em saúde quanto aos procedimentos, possíveis complicações e alimentação. *Ouvir atentamente o paciente. *Oferecer atividades de diversão voltadas para reduzir a tensão *Ajudar o paciente a identificar as situações precipitadoras de ansiedade.
Medo (00148) *Encorajar a verbalização dos sentimentos, percepções e medo
Conhecimento deficiente sobre a SM e cirurgia bariátrica. (00126) *Preparar a paciente para cirurgia através da educação em saúde sobre a SM e cirurgia.
Risco de glicemia instável (00179) *Mensurar a glicemia e realizar rodizio de locais
Obesidade IMC > 30 kg/m2 30kg/m2 (00232) *Orientar sobre alimentação saudável. *Verificar peso do paciente *Medir circunferência abdominal *Realizar educação para saúde e encaminhamentos
Risco de síndrome do desequilíbrio metabólico (00263) *Verificar sinais vitais *Estimular deambulação *Orientar paciente e família sobre mudança no estilo de vida
Risco de baixa autoestima situacional (00153) *Orientar paciente e encaminhar ao psicólogo
Pós-cirurgia Intervenções
Disposição para nutrição melhorada (00163) *Realizar educação para saúde e encaminhamentos
Risco de infecção relacionado a defesas primárias inadequadas (cirurgia) e doença crônica (diabetes e hipertensão (00004); Risco de infecção no sítio cirúrgico (00266) *Verificar sinais vitais *Realizar curativos *Observar sinais de infecção *Implementar cuidados para prevenção de infecção *conforme orientações da CCIH** *Implementar cuidados com sondagem vesical de demora *Observar pertuito e locais de inserção de cateteres *Registrar aspecto da lesão *Implementar cuidados com dreno *Observar condições de suturas *Orientar paciente/ família *Tranquilizar paciente
Dor aguda (00132) *Avaliar dor utilizando escala de intensidade e registrar. *Administrar medicação prescrita para a dor, antes da realização do curativo. *Identificar com o paciente fatores de melhora e piora da dor. *Realizar monitorização dos sinais vitais. *Tranquilizar paciente *Solicitar presença de familiar
Integridade da pele prejudicada associada a cirurgia e procedimentos (00047) *Orientar importância da higiene e hidratação corporal *Orientar para autocuidado *Implementar cuidados com soroterapia e local da punção venosa central/periférica
Hipotermia (00253) *Mensurar a temperatura e aquecer o paciente
Hipertermia (00007) *Mensurar a temperatura e administrar antitérmico conforme prescrição.
Risco de hipertermia perioperatória (00254) *Mensurar e avaliar a temperatura.
Disposição para nutrição melhorada (00016) *Orientar sobre alimentação saudável. *Orientar e motivar paciente/ família a mudança no estilo de vida

Discussão

Existe amplamente na literatura resultados de estudos que evidenciam os efeitos da CB na SM. A cura da síndrome apresenta associação direta com o restabelecimento da sensibilidade insulínica, em virtude da perda ponderal.12 Ressalta-se que os benefícios cirúrgicos não se restringem apenas à redução de peso, mas há influência do novo estilo de vida facilitado pela perda ponderal, além das modificações dietéticas motivadas pela reeducação alimentar.13

A obesidade, principalmente o acúmulo de adipócitos na região abdominal constitui-se como fator essencial para o desenvolvimento da resistência à insulina, substrato fisiopatológico de muitos eventos que integram a SM.13 Essa associação é explicada devido a capacidade do tecido adiposo em receber diversos estímulos da insulina, cortisol e de catecolaminas, que por sua vez, secreta substâncias como a leptina, adiponectina, Fator de Necrose Tumoral Alfa (TNF-a), dentre outras. Tais substâncias apresentam participação direta na resistência insulínica.14

Recentemente, pesquisadores reconheceram a influência das incretinas na fisiopatologia do DM2. Trata-se de substâncias peptídicas produzidas no intestino que são liberadas a partir do contato do bolo alimentar na porção delgada, que por sua vez, desempenhará sua ação no pâncreas, estimulando a secreção insulínica, inibição do glucagon, retardo do esvaziamento gástrico, dentre outros mecanismos antidiabetogênicos.13,15,16,17,18 No entanto, ressalta-se que a CB não está indicada para tratamento de pessoas com DM2 e IMC entre 30 e 34,9kg/m² em virtude das poucas informações científicas consolidadas nessa população.19 Já em relação à redução da PA, destaca-se a atenuação dos seguintes fatores: hiperinsulinemia, resistência insulínica, leptina e da pressão intra-abdominal.20

Nessa perspectiva, alguns estudos já evidenciaram aumento significativo e precoce da secreção de incretinas após a CB, relatando, também, a necessidade de maior profundidade em estudos futuros.21,22 Outros estudos já referem controle glicêmico e até mesmo a cura do DM2.13 Torna-se evidente, portanto, que a bariátrica consiste em uma terapêutica eficaz para o alcance da perda ponderal, da normalidade dos valores bioquímicos e consequentemente, na redução de comorbidades.18,20,23

Quando as terapêuticas clínicas não demonstram eficácia para o controle ponderal, há indicação da CB para indivíduos com obesidade mórbida e/ou na presença de comorbidades, inclusive o DM2.24 Dentre as modalidades bariátricas, destaca-se a gastrectomia vertical (GV), utilizada para o tratamento da obesidade em virtude da perda de peso e melhora do DM2 e outras enfermidades associadas.25,26

Há pesquisas que defendem pequenas perdas ponderais, em torno de 5 % a 10 %, como sinal clínico significante, visto que já existe a possibilidade de redução da PA e dos níveis glicêmicos. Não obstante, em médio prazo nesse mesmo estudo, a perda de peso alcançou 36,7 %, o que evidenciou redução significativa da SM, de acordo com os valores padronizados pelo NCEP.13

Resultados da Pesquisa Nacional de Saúde realizada em 2013, evidenciaram elevadas prevalências de fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) na população adulta.27 Aliado a isso, fundamentando-se nos resultados desse estudo, reforça-se que os fatores comportamentais contribuem no desenvolvimento de comorbidades e que a adoção de um estilo de vida saudável garante a manutenção do peso, controle metabólico e consequentemente, a redução de DCNT.

O estilo de vida saudável é definido como um conjunto de ações conscientes e cotidianas que diz respeito aos valores individuais, que reduzam e/ou não promovam riscos à saúde de quem o adota. Dentre algumas ações pertencentes ao estilo de vida saudável, destacam-se o equilíbrio dietético e a adoção de atividades físicas regulares que reduzem a adiposidade visceral com consequente ataque a base fisiopatológica da SM.28

Nessa perspectiva, não se pode adotar a CB como estratégia absoluta, pois, diferentemente do estilo de vida saudável, há complicações significativas para a vida do indivíduo que pode gerar repercussões na sua saúde e qualidade de vida. Dentre elas, destacam-se a síndrome de dumping, anemia, desnutrição proteica, avitaminoses, hiperproliferação bacteriana, doenças osteometabólicas, dentre outras. Em decorrência disso, há a necessidade constante da adesão farmacológica no intuito de garantir a homeostase orgânica e consequentemente, a manutenção da vida.19

Em conclusão, a cliente foi submetida à CB e após a cirurgia houve redução dos índices que a classificava como portadora da SM. Os dados antropométricos e metabólicos demonstram que a paciente não tem mais a síndrome porque a obesidade, a alteração glicêmica e da PA foram revertidas e as medicações suspensas.

Referências bibliograficas

1. Kazaz I, Angin E, Kabaran S, Iyigün G, Kirmizigil B, Malkoç M. Evaluation of the physical activity level, nutrition quality, and depression in patients with metabolic syndrome. Medicine (Baltimore). 2018;97(18):e0485. DOI: http://dx.doi.org/10.1097/MD.0000000000010485 [ Links ]

2. Ramires EKNM, Menezes RCE, Longo-Silva G, Santos TG, Marinho PM, Silveira JAC. Prevalência e Fatores Associados com a Síndrome Metabólica na População Brasileira: Pesquisa Nacional de Saúde - 2013. Arq Bras Cardiol. 2018;110(5):455-66. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/abc.20180072 [ Links ]

3. Saklayen MG. The Global Epidemic of the Metabolic Syndrome. Curr Hypertens Rep. 2018;26;20(2):12. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11906-018-0812-z [ Links ]

4. Purnell JQ, Selzer F, Smith MD, Berk PD, Courcoulas AP, Inabnet WB, et al. Metabolic Syndrome Prevalence and Associations in a Bariatric Surgery Cohort from the Longitudinal Assessment of Bariatric Surgery-2 Study. Metab Syndr Relat Disord. 2014;12(2):86-94. DOI: http://dx.doi.org/10.1089/met.2013.0116 [ Links ]

5. American Heart Association. About Metabolic Syndrome. 2016 [acesso: 10/09/2018]. Disponible en: http://www.heart.org/HEARTORG/Conditions/More/MetabolicSyndrome/About-Metabolic-Syndrome_UCM_301920_Article.jsp#.WvhXcogvzIULinks ]

6. Steyer NH, Oliveira MC, Gouvêa MRF, Echer IC, Lucena AF. Perfil clínico, diagnósticos e cuidados de enfermagem para pacientes em pós-operatório de cirurgia bariátrica. Rev Gaúcha Enferm. 2016;37(1):e5017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2016.01.50170 [ Links ]

7. Neco KKS, Costa RA, Feijão AR. Sistematização da assistência de enfermagem em instituições de saúde no Brasil: revisão integrativa. Rev enferm UFPE on line. 2015;9(1):193-200. DOI: http://dx.doi.org/10.5205/reuol.6817-60679-1-ED.0901201527 [ Links ]

8. Oliveira MR, Almeida PC, Moreira TMM, Torres RAM. Sistematização da assistência de enfermagem: percepção e conhecimento da enfermagem Brasileira. Rev Bras Enferm. 2019;72(6):1547-53. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0606 [ Links ]

9. Boaventura AP, Santos PA, Duran ECM. Conhecimento teórico-prático do Enfermeiro sobre Processo de Enfermagem e Sistematização de Enfermagem. Eglobal. 2017;16(2):194-205. DOI: https://doi.org/10.6018/eglobal.16.2.247911 [ Links ]

10. Mendonça LBA, Lima FET, Mendes CRS, Vidal LM, Dantas KB, Custódio IL. Processo de Enfermagem: aplicação em hospitais de uma capital brasileira. ReTEP. 2018 [acceso: 28/11/2019];10(1):3-9. Disponible en: http://www.coren-ce.org.br/wp-content/uploads/2019/01/Processo-de-Enfermagem-aplica%C3%A7%C3%A3o-em-hospitais-de-uma-capital-brasileira.pdfLinks ]

11. Bulechek GM, Butcher HK, Dochterman JM, Wagner CM. Nursing Interventions Classification (NIC). 6ta ed. St. Louis: Mosby-Elsevier; 2013. [ Links ]

12. Geloneze B, Pareja JC. Cirurgia Bariátrica Cura a Síndrome Metabólica? Arq Bras Endocrinol Metab. 2006;50(2):400-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302006000200026 [ Links ]

13. Monteiro Júnior FC, Silva Júnior WS, Salgado Filho N, Ferreira PAM, Araújo GF, Mandarino NR, et al. Efeito da perda ponderal induzida pela cirurgia bariátrica sobre a prevalência de síndrome metabólica. Arq Bras Cardiol. 2009;92(6):452-56. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2009000600007 [ Links ]

14. Barroso TA, Marins LB, Alves R, Gonçalves ACS, Barroso SG, Rocha GS. Associação Entre a Obesidade Central e a Incidência de Doenças e Fatores de Risco Cardiovascular. Int J Cardiovasc Sci. 2017;30(5)416-24. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20170073 [ Links ]

15. Tambascia MA, Malerbi DAC, Eliaschewitz FG. Influência do esvaziamento gástrico sobre o controle da glicemia pós-prandial: fisiologia e implicações terapêuticas. Einstein (São Paulo). 2014;12(2):251-3. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1679-45082014RB2862 [ Links ]

16. Takeuti TD, Terra GA, Silva AlA, Terra-Júnior JÁ, Silva LM, Crema E. Efeito do óleo de palma e da glutamina nos níveis séricos de GLP-1, PYY e da glicemia em portadores de diabete melito tipo 2 submetidos à cirurgia metabólica. Arq bras cir dig. 2014;27(Suppl 1):51-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0102-6720201400s100013 [ Links ]

17. Reyes SFA, Pérez ÁML, Alfonso FE, Céspedes CY, Ardevol PE. Las incretinas como nueva opción terapéutica en la diabetes mellitus tipo 2. Rev cubana med. 2015 [acesso: 10/09/2018]; 54(2): 151-66. Disponible en: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75232015000200006&lng=esLinks ]

18. Girundi MG. Remissão do Diabetes Mellitus Tipo 2 dezoito meses após gastroplastia com derivação em Y-de-Roux. Rev Col Bras Cir. 2016;43(3):149-53. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0100-69912016003002 [ Links ]

19. Associação brasileira para o estudo da obesidade e da síndrome metabólica. Diretrizes brasileiras de obesidade. 4.ed. São Paulo: ABESO; 2016 [acesso: 10/09/2018]. Disponible en: Disponible en: http://www.abeso.org.br/uploads/downloads/92/57fccc403e5da.pdfLinks ]

20. Pedrosa IV, Burgos MGPA, Souza NC, Morais CN. Aspectos nutricionais em obesos antes e após a cirurgia bariátrica. Rev Col Bras Cir. 2009;36(4):316-22. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912009000400008 [ Links ]

21. Fuchs T, Loureiro M, Both GH, Skraba HH, Costa-Casagrande TA. O papel da gastrectomia vertical no controle do diabete melito tipo 2. Arq Bras Cir Dig. 2017;30(4):283-6. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-6720201700040013 [ Links ]

22. Gloy VL, Briel M, Bhatt DL, Kashyap SR, Schauer PR, Mingrone G, Bucher HC, Nordmann AJ. Bariatric surgery versus non-surgical treatment for obesity: a systematic review and meta-analysis of randomised controlled trials. BMJ. 2013;22(347):f5934. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.f5934 [ Links ]

23. Oliveira LF, Tisott CG, Silvano DM, Campos CMM, Nascimento RR. Comportamento glicêmico no pós-operatório de 48 horas de pacientes diabéticos tipo 2 ou não diabéticos submetidos à cirurgia bariátrica. Arq bras cir dig. 2015;28(Suppl 1):26-30. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-6720201500S100009 [ Links ]

24. Sjöström L, Peltonen M, Jacobson P, Sjöström CD, Karason K, Wedel H, et al. Bariatric surgery and long-term cardiovascular events. JAMA. 2012;307(1):56-65. DOI: https://doi.org/10.1001/jama.2011.1914 [ Links ]

25. Hoogerboord M, Wiebe S, Klassen D, Ransom T, Ellsmere J. Laparoscopic sleeve gastrectomy: perioperative outcomes, weight loss and impact on type 2 diabetes mellitus over 2 years. Can J Surg. 2014;57(2):101-5. DOI: https://doi.org/10.1503/cjs.024212 [ Links ]

26. Yousseif A, Emmanuel J, Karra E, Millet Q, Elkalaawy M, Jenkinson AD, et al. Differential effects of laparoscopic sleeve gastrectomy and laparoscopic gastric bypass on appetite, circulating acyl-ghrelin, peptide yy3-36 and active glp-1 levels in non-diabetic humans. Obes Surg. 2014;24(2):241-52. DOI: https://doi.org/10.1007/s11695-013-1066-0 [ Links ]

27. Malta DC, Andrade SSCA, Stopa SR, Pereira CA, Szwarcwald CL, Silva Júnior JB, et al. Estilos de vida da população brasileira: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(2):217-26. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-497420150002000004 [ Links ]

28. Ayoub JAS, Alonso PA, Guimarães LMV. Efeitos da cirurgia bariátrica sobre a síndrome metabólica. Arq bras cir dig. 2011;24(2):140-43. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202011000200010 [ Links ]

Recibido: 13 de Julio de 2019; Aprobado: 13 de Diciembre de 2019

*Autor para la correspondência: isleide71@yahoo.com.br

Os autores declaram não haver conflitos de interesse.

Isleide Santana Cardoso Santos: Participou do delineamento do estudo, coleta de dados, levantamento bibliográfico e construção do texto e aprovo a versão final.

Rita Narriman Silva de Oliveira Boery: Participou da análise crítica do conteúdo e aprovaram a versão final.

Josicélia Dumêt Fernandes: Participou da análise crítica do conteúdo e aprovo a versão final.

Andréa dos Santos Souza: Participou da análise crítica do conteúdo e aprovo a versão final.

Edison Vitório de Souza Júnior: Participou da construção do texto, levantamento bibliográfico e redação científica e aprovo a versão final.

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons